CACHOEIRA DO SUL PREVISÃO
Patrick Prade

Conrad & Michelle: Se Palavras Matassem

Patrick Prade

Antes de qualquer coisa, devo avisar que esse texto contém gatilhos, e se você tem depressão ou outra patologia parecida, devia evitar ler até o final.

Escolhi Conrad & Michelle, um filme de 2018 produzido pelo canal de assinatura Lifetime porque fiquei profundamente abalado com a história real que inspirou o filme e outros programas de TV sobre crimes. Em uma época tecnológica, novos problemas surgem à medida que a tecnologia avança, e hoje temos doenças causadas por uso exagerado da internet e jogos online, também temos novos golpes e crimes virtuais surgindo a cada dia. O caso de Conrad Roy e Michelle Carter ganhou os noticiários em 2014 por conta de ser algo inédito e fazer surgir diversas dúvidas, como: é possível matar alguém por mensagens de texto? Como acusar de homicídio uma pessoa que estava á 65 km da vítima na hora da morte? 

São questões que durante meses e anos foram debatidas em um tribunal em Massachusetts, num caso que além do filme da Lifetime, ganhou um documentário de duas partes na HBO. Claro que assisti tudo para saciar minha curiosidade e ficar mais informado a respeito do caso.

A História

Michelle e Conrad se conheceram durante as férias, passaram a tarde conversando e notaram que tinham muitas coisas em comum: o mesmo time, o mesmo gosto musical e ambos já foram internados em clínicas psiquiátricas. Ele por tentar se matar e ela por anorexia e depressão. Eles trocaram telefones e passaram meses conversando muito, estima-se que mais de sessenta mil mensagens foram trocadas por eles, além das ligações e uns poucos encontros pessoalmente. O tema das conversas sempre acabava entrando no assunto preferido de Conrad: o suicídio. Michelle também tem tendências suicidas, mas por motivos diferentes. Conrad quer morrer porque sente que sua vida não tem sentido, passa os dias chorando por se sentir inútil, os pais se divorciaram e é espancado pelo pai, que já foi preso por agredir o filho antes. Michele quer a morte porque não se sente amada, ela até tenta fazer amizades inventando histórias interessantes pra chamar a atenção, mas sua obsessão em falar como está acima do peso e fazendo dietas espanta as amigas em pouco tempo. Conrad tentou quatro vezes o suicídio, a maioria com overdose de remédios, Michelle tentou se enforcar uma vez, mas desistiu depois de quase meia hora com a corda no pescoço. Essas experiências em comum eram debatidas pelos dois e quando Conrad pediu ajuda para se matar, Michelle pensou em encontrar uma maneira rápida, eficaz e sem dor, para que Conrad parasse de sofrer. Definido o método, Michelle começou a ficar impaciente com Conrad que todas as noites dizia "vai ser hoje!" e ela sofria por ele, que no outro dia ligava pedindo desculpas. Com isso Michelle começou a pressionar Conrad para fazer logo e acabar com o sofrimento dos dois, pois ela sofria vendo ele viver daquele jeito. Então, certa noite ele ligou pra ela e enquanto morria intoxicado no carro ficou no telefone para Michelle ouvir seus últimos suspiros.   

Mentiras

A história é contada através dos autos do caso e reproduz exatamente as mensagens trocadas entre o casal, e o documentário Eu Te Amo, Agora Morra, feito pela HBO também em 2019, mostra cenas reais do julgamento e depoimentos de amigos e familiares. Depois que Conrad conseguiu se matar, Michelle se portou como a namorada em luto e até fez um jogo solidário para arrecadar dinheiro para o combate ao suicídio. Num instante, a moça que ninguém conversava era cercada de gente que se condoía pela perda dela. Mas algumas semanas depois, ao desbloquear o celular de Conrad, as conversas vieram à tona e Michelle entrou na mira da polícia por incentivar o suicídio do jovem. No celular dela encontraram mensagens para as amigas, e a que condenou Michelle foi escrever para uma amiga que Conrad tinha saído do carro e ela disse para ele voltar. Se ela falou realmente isso, ninguém sabe, já que Michelle é uma mentirosa patológica e inventa histórias absurdas para todo mundo. A idéia da defesa é que ela inventou para a amiga ficar com pena dela e apoiar, mas para o juiz, essa foi a frase que matou Conrad, e Michelle foi condenada á cinco anos de prisão, sendo que metade ela cumpriu em liberdade fazendo tratamentos e recorrendo da sentença. Após isso ela foi presa e só saiu em janeiro de 2019, quatro meses antes do fim de sua pena.. 

Os Dois Lados

 Todo mundo sabe que estimular alguém a se matar ou omitir socorro é crime, embora nenhuma lei na época condenasse isso, era o velho: "É errado, mas não é crime!". O problema do caso A Comunidade Versus Michelle Carter foi que a moça também tinha problemas psiquiátricos e que foi medicada erroneamente desde os quatorze anos de idade. Além da anorexia, bulimia e depressão, Michelle vivia num mundo de faz de contas e criava situações irreais em sua vida para chamar atenção dos pais e colegas de escola. Durante o julgamento isso foi esquecido e ela foi julgada como uma aberração que tinha mandado o namorado se matar. Não sou juiz, então deixo minha opinião de lado e estou apenas passando informações para que você saiba um pouco mais do caso. Conrad tinha histórico de tentativas de suicídio e sofria violência, além de dizer que via o demônio, assim como Michelle. Ambos tinham a idéia que Deus iria saber que ele fez aquilo por estar sofrendo e o perdoaria, então no céu ele cuidaria de Michelle e seria o anjo dela. O fato é que não existe culpado ou inocente nessa história, só dois jovens problemáticos que foram mergulhando em um mundo á parte da vida real e um foi piorando a situação do outro. Conrad abusava do psicológico de Michelle, como foi provado em diversas mensagens, e algumas dessas diziam que Conrad havia violentado Michelle, mas essa foi ignorada no tribunal e descartada como mentira. O que fez eles decidirem qual mensagem era mentira ou verdade eu não sei dizer. Assista ao filme e o documentário se houve interesse e tire suas próprias conclusões, e que o filme sirva acima de tudo para mostrar o quanto devemos ser cuidadosos com o que falamos e digitamos na internet. Nunca sabemos o que a pessoa no outro lado está passando, então devemos ter mais cautela em nossos comentários e pré-julgamentos no dia a dia.

E se você está passando por uma fase difícil ou crise, procure ajuda ou ligue para o CVV no número 188, gratuitamente, 24 horas por dia. Só não fique em silêncio e saiba que vocês não estão sozinhos, pois atualmente no Brasil, cerca de 12 milhões de pessoas têm algum tipo de depressão, e juntos podemos fazer a diferença para o assunto deixar de ser tabu.


Sobre nós:

Nossa missão: Ser o veículo de integração da comunidade, contribuindo para o seu desenvolvimento com informação precisa, responsável e imparcial..

(51) 3722-4368 | (51) 9-9945-8687 CACHOEIRA DO SUL | RS | BRASIL