Polícia

Cachoeira registra 62 casos de lesões corporais e três estupros contra mulheres

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Rio Grande do Sul, no primeiro semestre (janeiro a junho) de 2020, Cachoeira do Sul registrou 62 casos de lesões corporais contra mulheres, além de 149 ameaças contra a mulher. O levantamento da SSP registrou ainda três casos de estupros no município, sendo um no mês de janeiro, um no mês de maio e um já contabilizado em junho. No mesmo período em 2019, foram registrados 92 casos de lesões corporais, 162 ameaças contra a mulher, além de três casos de estupro. No estado, foram registrados 9685 casos de lesões corporais e 780 casos de estupros somente no primeiro semestre de 2020.

Em Cachoeira do Sul, as mulheres vítimas de violência podem procurar o Espaço Sala das Margaridas. No local, são feitos os registros de ocorrência e pedidos de medidas protetivas. A sala é um local reservado, onde são feitos os boletins de ocorrência, assim como o pedido de medidas protetivas e outras ações que fazem parte da Lei Maria da Penha. Todo o processo de atendimento é realizado por profissionais especificamente capacitados para lidar com casos dessa natureza. Em Cachoeira do Sul a Sala das Margaridas está localizada na Rua Gaspar Martins, 1285, esquina com David Barcelos. As ocorrências pelos crimes de agressão e de violência doméstica - Maria da Penha - devem ser registrados na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), onde a investigação será aberta. A vítima também pode denunciar o agressor através dos telefones: 100, 180 e 197.

Máscara roxa

A campanha Máscara Roxa, lançada pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul, possibilita que mulheres vítimas de violência doméstica denunciem casos de agressões em farmácias que tiverem o selo "Farmácia Amiga das Mulheres" no Rio Grande do Sul. A iniciativa continua em operação durante o período de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus. Ao chegar na farmácia, a mulher deve pedir a máscara roxa, que é a senha para que o atendente saiba que se trata de um pedido de ajuda. Na sequência, o profissional vai informar que o produto está em falta e pegará alguns dados para avisá-la quando chegar. Cabe ao atendente passar as informações para Polícia Civil, que tomará as medidas necessárias.


Missão

Ser o veículo de integração da comunidade, contribuindo para o seu desenvolvimento com informação precisa, responsável e imparcial..

(51) 3722-4368 | (51) 9-9945-8687 | CACHOEIRA DO SUL | RS | BRASIL